O elogio do Dissenso

O sistema vigente conta com uma variedade de mecanismos e dispositivos de captação, um deles parece ser o que Orwell descreve como minutos de ódio. Efetivamente, a ilusão de produzir pela via institucional mudanças ao estabelecido pelos macropoderes.

Esse álibi é um simulacro, como tantos outros do capitalismo. Claramente está expresso na Constituição: o povo não delibera nem governa senão através de seus representantes. A garantia de que isso se cumpra como o previsto são as forças de coação estatal.

Provas sobram para fundamentar o dito acima e basta perguntarem as comunidades insubmissas contra as empresas mineiras, aos envenenadores seriais dos agrotóxicos e toda a corte de tecno-burocratas. Quando as manobras e acordos não funcionam aparecem os porretes, os gases e as balas. Somente a luta autônoma fora das estruturas verticais será eficaz para a resistência. Mais cedo do que tarde as ruas serão o cenário de lutas genuinamente emancipatórias.

Carlos A. Solero (ArgentinA – Outubro de 2018)

Tradução > Liberto

, , , , ,

Deixe uma resposta