Mas afinal, por que governos, mídias e religiões querem que você seja uma pessoa nula socialmente?

governo-opressor

Simples, você é um escravo da elite dominante e ela suborna governos, mídias, religiões e faz tudo que for possível para continuar assim.

A elite não quer perder, de forma alguma, seu poder e luxos garantidos pela exploração do seu sofrimento através do sistema financeiro. A elite te controla, porque você consente.

Estima-se que essa elite representa, no máximo, 1% da população mundial e inclui oligarcas do petróleo, banqueiros, políticos, megaempresários, magnatas da comunicação, bispos, latifundiários e outros poderosos.

Soluções:
1-Desligue a TV.

2-Questione a veracidade das informações que lhe foram passadas. Geralmente quem é retratado como vilão pela mídia convencional há grandes chances de ser o herói. Pense por você e tire suas próprias conclusões.

3-Informe-se e informe através de meios alternativos como redes sociais, blogs e mídias independentes.

4-Rejeite totalmente o sistema político. A ilusão da democracia é um insulto à nossa inteligência. Em um sistema financeiro não existe e nunca existiu democracia verdadeira.

5-Não seja consumista. Pare de comprar supérfluos de que você não precisa. O sentimento de que tendo uma coisa te fará mais feliz é falso e é resultado da mídia manipuladora. Você não vai morrer se fizer isso.

6-Substitua a competição pela cooperação. Temos que pensar no coletivo e deixar o individual de lado. Precisamos de coesão social para criar uma política participativa.

7-Ignore palavras limitadoras como tradição, conformismo, comodismo, conservadorismo e utopia. Se os grandes cientistas e inventores da nossa história as levassem em consideração, ainda estaríamos vivendo em árvores.

Se há soluções, por que ainda estamos no mesmo lugar?

DESPERTA!!!

Via: AnonymousRio

,
2 comments to “Mas afinal, por que governos, mídias e religiões querem que você seja uma pessoa nula socialmente?”
  1. Pingback: Formas de Governo - Formas de Estado - Sistemas de Governo

Deixe uma resposta