Inventor espanhol é “ameaçado de morte” por criar uma lâmpada que não queima nunca

Um terreno muito fértil para a conspiranoia é cultivado no terreno dos automóveis movidos a água ou dos motos-perpétuos. Todos conhecem uma história de alguém que inventou e foi “suicidado” ou que sumiu repentinamente, mas a verdade verdadeira é que, a luz da ciência, nunca apareceu alguém para reclamar tal feito. Agora, aliás, agora não; há pelo menos 9 anos de pesquisa, um inventor espanhol diz ter criado uma lâmpada que não queima nunca. Quer saber mais?


Benito Muros diz que, junto a um grupo de engenheiros internacionais, desenvolveu a tecnologia e a fórmula para fabricar uma linha de iluminação aplicada à tecnologia LED que dura toda a vida, isto é, lâmpadas que a um custo de 37 euros (100 reais) e com 25 anos de garantia não queimam nunca.

A lâmpada criada pela OEP Electrics responde à necessidade atual de um compromisso com o meio ambiente. Ao durar tanto tempo, não gera resíduos ao mesmo tempo em que permite uma poupança energética de até 92% e emite até 70% a menos de CO2.

Mas, ao que parece, a indústria de produtos elétricos não está muito contente com a descoberta. Benito Muros diz que está sendo ameaçado devido a seu invento e inclusive afirma ter recebido ofertas milionárias para retirar seu produto do mercado.

– “Senhor Muros, você não pode colocar seus sistemas de iluminação no mercado. Você e sua família serão aniquilados”, reza a denúncia que Muros apresentou à Polícia, que apesar do medo não se covardou.

Para realizar sua pesquisa, Muros viajou até o parque de bombeiros de Livermore (Califórnia), lugar no qual há uma lâmpada que permanece acesa de forma ininterrupta há mais de 111 anos. Ali contatou com descendentes e conhecidos dos criadores da lâmpada, já que não existia documentação a respeito. Com esta informação conseguiu as bases para começar sua pesquisa, cujo achado supõe um novo conceito de modelo empresarial baseado na não obsolescência programada (nome dado à curta vida de um bem ou produto que é projetado de forma que dure apenas por um período reduzido).

O conceito de obsolescência programada surgiu entre 1920 e 1930 com a intenção de criar um novo modelo de mercado, que visava a fabricação de produtos com curta durabilidade de maneira premeditada obrigando os consumidores a adquirir novos produtos de forma acelerada e sem uma necessidade real.

Segundo a própria empresa, as lâmpadas e a luta de Benito Muros respondem a um novo conceito empresarial, baseado em desenvolver produtos que não caduquem, como aquelas geladeiras Frigidaire ou máquinas de lavar Westinghouse que duravam a vida toda. Uma filosofia empresarial mais conforme com nossos tempos, graças à comercialização de produtos que não estejam programados para ter uma vida curta, senão que respeitem o meio ambiente e que não gerem resíduos que, por vezes, acabam desembocando em containers de lixo no terceiro mundo.

Ainda que não durem toda uma vida, é necessário ressaltar que algumas marcas conhecidas já anunciam lâmpadas com longa duração, como 17 anos, por exemplo. Golpe de marketing ou realidade?

Fontes:

http://forum.antinovaordemmundial.com/Topico-um-espanhol-é-ameaçado-de-morte-por-criar-uma-lâmpada-que-não-queima-nunca
http://www.mdig.com.br/index.php?itemid=26370
http://nosdiasdenoe.blogspot.com.br/2012/10/espanhol-e-ameacado-de-morte-por-criar.html?utm_source=feedburner&utm_medium=feed&utm_campaign=Feed:+NosDiasDeNoe+(Nos+dias+de+No%C3%A9)

, ,
One comment on “Inventor espanhol é “ameaçado de morte” por criar uma lâmpada que não queima nunca
  1. Pingback: Obsolescência Programada - Tecnologia Obsoleta

Deixe uma resposta