Internacional Negra

A Internacional Negra (no francês Internacionale Noire) também conhecida como Conspiração Anarquista Internacional foi um factóide produzido pelos jornais da segunda metade do século XIX e ratificado pelas autoridades em suas investigações. Segundo os jornais e as autoridades da época um suposto complô internacional anarquista teria como meta assassinar os principais governantes e burgueses do mundo e dessa forma efetivar a Revolução internacional. O alarde gerado pela suposta existência da Internacional Negra foi amplamente utilizado como desculpa por diversos estados nacionais para oprimir, criminalizar, encarcerar e assassinar diversos anarquistas daquele período.

Embasamento

Essas suposições se baseavam em grande parte na ação espetacularizada de pequenos grupos de anarquistas adeptos do ilegalismo que recorriam desesperadamente a táticas terroristas, assassinatos e, principalmente regicídios a fim de vingar companheiros executados pelo estado e fazer frente (entendido também como caráter de vingança) às terríveis condições em que se encontravam os trabalhadores em um contexto de super-exploração laboral e violência patronal com o aval e a colaboração dos estados nacionais.

Utilização repressiva

A partir da visibilidade dada pela mídia as ações dos ilegalistas o aparato repressivo estatal encontrava os subterfúgios necessários para reprimir duramente as mobilizações dos grupos anarcossindicalistas que a época eram significativamente maiores.

Diversos intelectuais anarquistas como Emma Goldman, Errico Malatesta, Francisco Ferrer e Victor Serge tornaram-se alvo de investigações que buscavam vinculá-los as ações violentas e à conspiração. A cada nova ação em alguma parte do mundo, eram chamados para depor, ou até mesmo detidos para investigações.

Supostos participantes
Bombardeadores

Escultura de autoria de Antoni Gaudí na fachada da Catedral da Sagrada Família em Barcelona, em que um operário aparece recebendo uma bomba de Orsini das mãos de um demônio.

Escultura de autoria de Antoni Gaudí na fachada da Catedral da Sagrada Família em Barcelona, em que um operário aparece recebendo uma bomba de Orsini das mãos de um demônio.

Charles Gallo
Ravachol
Auguste Vaillant
Jean Renaud
Alexander Farras
Luigi Galleani
Émile Henry
Serguei Netchaiev
Santiago Salvador Franch
Théodule Meunier
Amédeé Pauwels
Martial Bourdin

Regicidas

Alexander Berkman
Alexander Farras
Alexandros Schinas
Antonio Ramón
August Reinsdorf
Felice Orsini
Francisco Otero
François Salson
Gaetano Bresci
Gennaro Rubino
Giovanni Passannante
Gugliermo Oberdan
Jean-Baptiste Sipido
Joaquín Miguel Artal
Juan Oliva Moncasi
Leon Czolgosz
Léon Jules Léauthier
Luigi Lucheni
Marius Baudy
Manuel Pardiñas
Manuel Possa
Mateo Morral
Max Hödel
Michele Angiolillo
Paolo Lega
Paulino Pallás
Pietro Acciarito
Ramon Murull
Sante Geronimo Caserio

Expropriadores

Clément Duval
Marius Jacob
Alexander Grauberger
Yurian Kirienko
Stefan Sedoresky
Pablo Pavlowsky
André Soudy
Antoine Monier
Edouard Carouy
Jean De Boé
Jules Bonnot
Jules Dubois
Octave Garnier
Paul Metge
René Valet
Raymond Callemin
Raymond Gauzy

Indiretamente relacionados

Emma Goldman
Élisée Reclus
Francisco Ferrer
Charles Achille Simon
Peter Kropotkin
Louise Michel
Amilcare Cipriani
Eugène Dieudonné
Rirette Maitrejean
Errico Malatesta
Francesco Saverio Merlino
Jean Grave
Ettore Molinari
Luigi Galleani
Pietro Gori
Luigi Molinari
Victor Serge
Mariano Cerezuela
José Codina
Romeo Frezzi
Henry Decamp
Charles Dardare
Louis Léveillé
Sébastien Faure
Rudolf Rocker
Milly Witkop
Jus-Beala
Mariette Soubert
La Rulhière
Charles Achille Simon

Cronograma de eventos

Mural em Savóia di Lucania, Itália, mostrando a cena de Giovanni Passannante tentando apunhalar Umberto I

Mural em Savóia di Lucania, Itália, mostrando a cena de Giovanni Passannante tentando apunhalar Umberto I

1878
11 de Maio – Max Hödel tenta assassinar a tiros Wilhelm I, kaiser da Germânia, seu atentado não logra êxito.

25 de Outubro – Na Espanha Juan Oliva Moncasi atira contra o rei Afonso XII, mas é desarmado e detido pela multidão. Afonso XII sobrevive.
17 de Novembro – Giovanni Passannante apunhala o rei Umberto I da Itália, fracassando em executá-lo.
7 de Dezembro – Juan Oliva Moncasi é executado pelo garrote vil.
1879
4 de Janeiro – A primeira edição do jornal Die Freiheit em alemão do editor Johann Most é publicada em Londres.
22 de Fevereiro – O Periódico Révolte é fundado em Genebra, na Suíça por Peter Kropotkin, Élisée Reclus, e outros, com uma tiragem inicial de 2.000 cópias.
6 de Março – Tem início o Julgamento de Giovanni Passannante por tentativa de assassinato do Rei Umberto I da Itália.
30 de Dezembro – o padeiro Francisco Otero atenta contra Alfonso XII e sua esposa quando regressavam ao palácio depois de um passeio pelo Retiro. Por sorte o monarca escapa do tiro em direção a sua cabeça.
1882
19 de Janeiro – O primeiro congresso anarquista regional cubano é organizado em Havana.
1883
28 de Janeiro – Peter Kropotkin é condenado a cinco anos de prisão.
9 de Março – Louise Michel toma a frente em uma demonstração de desempregados, e recebe seis anos de confinamento na solitária, esta é a primeira vez conhecida que é deflagrada a bandeira negra, posteriormente adotada como um dos símbolos do anarquismo.
1884
31 de Janeiro – na Itália, Luigi Molinari é sentenciado a 23 anos na prisão por instigar a insurreição na Sicília.
13 de Fevereiro – O edifício Florence, local dos escritórios do jornal La Questione Sociale na Itália é invadido e lacrado pela polícia.
15 de Fevereiro – August Reinsdorf tenta explodir a carruagem do kaiser Wilhelm I e seus filhos quando estes se dirigiam para a abertura de um evento solene em Rudensheim.
1885
7 de Fevereiro – August Reinsdorf é executado em Halle.
1886
5 de Março – Charles Gallo quebra uma garrafa de ácido hidrociânico dentro da Bolsa de Valores de Paris.
1 de Setembro – Em Barcelona, uma bomba plantada por anarquistas ocasiona importantes danos à sede da organização patronal Fomento de la Producción Nacional.
1887
11 de Janeiro – O julgamento do ilegalista Clément Duval começa em Paris, mas termina em um caos, com Duval sendo arrastado da corte gritando “Viva a Anarquia!”.
11 de Novembro – Quatro anarquistas ativistas pelos direitos dos trabalhadores são executados em Chicago por serem considerados líderes do levante de Haymarket.
1890
17 de Janeiro – Uma bomba é colocada na casa dos industriais Batlló em Barcelona.
4 de Maio – Um novo atentado a bomba é levado a cabo contra a sede da organização Fomento de la Producción Nacional.
1891
4 de Janeiro – Durante o Congresso de Capolago na Suíça são fundados o Partido Socialista Anarquista Revolucionário Francês (PSARF) e o Partido Socialista Anarquista Revolucionário Italiano (PSARI). Amilcare Cipriani, Errico Malatesta, Francesco Saverio Merlino, Ettore Molinari, Luigi Galleani e Pietro Gori são os grandes propagandistas destes partidos.
1 de Maio – Em Fourmies nove pessoas (entre estas mulheres e crianças) são executadas durante uma manifestação de trabalhadores pela jornada de trabalho diária de 8 horas.
1 de Maio – Em Clichy, três anarquistas – Henri Decamps, Charles Dardare e Louis Léveillé são presos por trocarem tiros com a polícia em um protesto de trabalhadores por melhores condições de trabalho.
3 de Maio – Aparecem três bombas em uma alameda de Cádiz, na Espanha.
3 de Agosto – Henri Decamps e Charles Dardare são condenados à morte por trocarem tiros com a polícia quando esta atacava uma manifestação de trabalhadores em 1 de Maio. Louis Léveillé é absolvido.
1892
8 de Janeiro – Levante anarquista na Andaluzia, aos gritos de “Vive la révolution sociale”, centenas de camponeses tomam a cidade de Jerez. O levante é rapidamente atacado pelas forças de repressão estatal e dezenas são capturados e torturados.
9 de Fevereiro – Um petardo é lançado na praça real de Barcelona.
2 de Março – Ravachol explode o apartamento do presidente da Corte de Justiça francesa, M. Benoit, principal responsável pela condenação de Decamps e Dardare.
6 de Março – outra bomba de Ravachol explode no Quartel Lobau.
27 de Março – a residência do procurador da República, M. Bulot, explode com uma terceira bomba de Ravachol.
30 de Março – Ravachol é capturado pela polícia a partir do delato do camareiro Lhérot, funcionário do Restaurante Léry.
23 de Abril – Ravachol é condenado a prisão perpétua em seu primeiro julgamento na corte de Assisses pelos atentados.
24 de Abril – Théodule Meunier explode o Café Very, lugar onde Ravachol havia sido delatado, matando o proprietário e um cliente.
20 de Junho – Na Espanha a casa do Governador Cánovas é alvo de um ataque a bomba mal-sucedido. A bomba estoura nas mãos do anarquista que a estava colocando.
26 de Junho – Ravachol é condenado a morte pela guilhotina pela autoria de três assassinatos.
11 de Julho – aos trinta e dois anos, Ravachol é guilhotinado em Montbrison.
23 de Julho – Alexander Berkman tenta assassinar o burguês industrial Henry Clay Frick em um de seus escritórios em Pittsburgh, responsável pela morte de sete metalúrgicos.
8 de Novembro – Émile Henry deixa uma bomba na delegacia de polícia da rua des bons enfants, a explosão mata cinco policiais, e uma pessoa de ataque cardíaco.
1893
24 de Setembro – na Espanha Paulino Pallás lança uma bomba na carruagem o General Arsenio Martinez Campos, ferindo-o e matando dois soldados. O ato é parte de um ciclo de vingança naquele período.
6 de Outubro – Paulino Pallás é fuzilado a prisão do castelo de Montjuïch, em Barcelona.
7 de Novembro – em resposta a execução de Paulino Pallás, Santiago Salvador Franch atira duas bombas criadas a partir do desenho de Orsini) dentro do Grande Teatro Liceu de Barcelona durante a estreia da ópera Guilherme Tell, vinte e duas pessoas são mortas.
13 de Novembro – Léon Jules Léauthier fere consideravelmente Viadan Georgevitch, primeiro ministro da Sérvia em uma de suas visitas a Paris.
9 de Dezembro – por volta das 16 horas Auguste Vaillant lança uma bomba de pregos na Câmara de Deputados Francesa durante uma cessão. Quarenta políticos acabam feridos, sem nenhuma vítima morta. Seu objetivo era em parte, vingar a morte de Ravachol.
12 de Dezembro – é aprovada pela Câmara dos Deputados a primeira das lois scélérates (abomináveis), com a intenção de reprimir a imprensa anarquista.
1894
3 de Janeiro – O primeiro ministro italiano Francesco Crispi proclama estado de sítio na Sicília território em insurreição anarquista para onde são enviados 40.000 soldados. A repressão violenta faz com que outras revoltas anarquistas se organizem na Lunigiana e na Toscana as quais Crispi reage proclamando estado de sítio também nestes territórios.
25 de Janeiro – Um atentado é realizado por Ramon Murull contra o governador civil Larroca.
5 de Fevereiro – aos trinta e três anos, o anarquista ilegalista Auguste Vaillant é guilhotinado.
12 de Fevereiro – como retaliação a execução de Vaillant por um crime sem vítimas fatais, as 19 horas Émile Henry lança uma bomba no luxuoso Café Terminus, freqüentado pela elite parisiense. Uma pessoa morre e vinte acabam feridas.
15 de Fevereiro – O francês Martial Bourdin tenta destruir o Observatório Real de Greenwich em Londres com uma bomba, que explodiu em suas mãos.
20 de Fevereiro – Duas explosões acontecem em Paris na Rua Saint-Jacques e no Subúrbio Saint-Martin. A autoria destes atentados é atribuída ao belga Amédée Pauwels, em vingança pela execução de Auguste Vaillant.
26 de Fevereiro – Na França, Jean Grave é julgado e condenado a dois anos de presão por publicar La société mourante et l’anarchie.
15 de Março – Amédée Pauwels morre quando a bomba que colocava na Igreja de la Madeleine explode prematuramente. A bomba havia sido fabricada por Émile Henry.
27 de Abril – Émile Henry é julgado e condenado a guilhotina no Tribunal de Assize em Seine.
1 de Maio – na cidade de Cleveland, uma série de manifestações de trabalhadores desempregados acaba em confronto com a polícia. Grupos anarquistas da cidade são considerados pelas autoridades os principais incitadores.
21 de Maio – em Paris, aos vinte e dois anos, Émile Henry é guilhotinado. Em Barcelona José Codina e Mariano Cerezuela são executados por serem considerados culpados de lançarem 2 bombas no Teatro Liceu, ato do qual não participaram e que posteriormente seria creditado à Santiago Salvador Franch.
16 de Junho – em Roma o anarquista Paolo Lega tenta assassinar o primeiro ministro italiano Francesco Crispi.
24 de Junho – durante uma marcha militar em Lyon o italiano Sante Geronimo Caserio apunhala o presidente da Terceira República Francesa, Sadi Carnot matando-o.
25 de Junho – Théodule Meunier é capturado em Londres pela explosão do Restaurante Léry, lugar onde trabalhava o delator de Ravachol, o camareiro Lhéry. Miller é julgado no mês seguinte e condenado à prisão perpétua.
28 de Julho – em Paris é votada pela Câmara de Deputados Francesa a segunda das lois scélérates (leis abomináveis) contra os anarquistas.
2 de Agosto – Sante Caserio é condenado a morte na guilhotina.
16 de Agosto – aos vinte e dois anos, Sante Caserio é guilhotinado em Lyon.
7 de Setembro – na cidade de Nova York 12.000 trabalhadores da indústria textil fazem greve contra a super-exploração laboral. Grupos anarquistas estão envolvidos.
21 de Novembro – Santiago Salvador Franch é executado pelo garrote vil na prisão do castelo de Montjuïch, em Barcelona.
1895
4 de Maio – Primeira tiragem do jornal Les Temps Nouveaux editorada por Jean Grave.
16 de Novembro – A primeira edição do Jornal Le Libertaire de Sébastien Faure, é publicada.
1896
1 de Maio – é fundado o Clube Anarquista de Melbourne.
4 de Maio – o levante de Haymarket acontece em Chicago.
26 de Julho – a Quarta Internacional Socialista tem início em Londres. Grande parte da discussão girou em torno da participação ou não dos anarquistas. Seus delegados foram mantidos.
8 de Agosto – o anarquista italiano Michele Angiolillo assassina o primeiro ministro espanhol Antonio Cánovas del Castillo em uma estação termal em Mondragon.
20 de Agosto – Michele Angiolillo é executado através do garrote.
1897
22 de Abril – Pietro Acciarito tentou assassinar o rei da Itália Umberto I sem sucesso.
4 de Setembro – O anarquista Ramón Sempau executa o tenente Portas, responsável diretamente pela execução e tortura de dezenas de anarquistas.
1898
21 de Abril – Errico Malatesta e outros são levados a julgamento por conspiração criminosa na Itália.
27 de Abril – O Julgamento de Errico Malatesta e outros chega ao fim, todos são considerados culpados.
10 de Setembro – em Genebra o italiano Luigi Lucheni elimina Sissi, a Imperatriz da Áustria com uma estocada no coração.
1899
6 de Fevereiro – Sébastien Faure lança o primeiro número do períodico diário Le Journal du Peuple (O Jornal do Povo).
1900
5 de Abril – Aos 16 anos o belga Jean-Baptiste Sipido tenta assassinar o Príncipe de Wale.
29 de Julho – Gaetano Bresci mata com três tiros o Rei Umberto I da Itália.
26 de Dezembro – Congresso de Judeus anarquistas em Londres decide pela re-edição do jornal Arbeter Fraint, sob a edição de Rudolf Rocker.
1901
7 de Abril – Na Suíça, confrontos violentos entra a polícia e manifestantes durante protestos contra a extradição de um anarquista italiano suspeito de participação no ataque de Gaetano Bresci ao rei italiano Umberto I em 29 de Julho do ano anterior.
6 de Setembro – Leon Czolgosz assassina o presidente dos Estados Unidos William McKinley em Bufalo.
1902
15 de Novembro – o anarquista italiano Gennaro Rubino atenta contra a vida do Rei Leopoldo II da Bélgica em Bruxelas, Leopoldo II sobrevive.
1904
12 de Abril – Em Barcelona (Espanha), Joaquín Miguel Artal atenta contra a vida do presidente do Conselho de Ministros Antonio Maura, este no entanto, sai praticamente ileso . Em 1910, Maura sofreria um segundo atentado.
1905
22 de Março – O ilegalista Marius Jacob é condenado a prisão perpétua por matar um policial.
31 de Maio – Alexander Farras atira uma bomba na procissão liderada pelo presidente francês Émile Loubet e por Alfonso XIII rei da espanha. O atentado fracassa.
24 de Dezembro – Em Barcelona (Espanha) atentado contra o cardeal Casañas.
1906
31 de Maio – o catalão Mateo Morral tenta assassinar Afonso XIII e Victoria Eugenia, rei e rainha da Espanha lançando uma bomba escondida num ramo de flores sobre a carrugem em uma parada de bodas reais em Madrid. Porém a bomba caiu da carruagem matando trinta pessoas. Os reis saíram ilesos.
1907
11 de Março – O primeiro ministro da Bulgária, Dimitar Petkov é assassinado por um anarquista.
25 de Julho – Théodule Meunier morre na prisão.
24 de Agosto – O Congresso Internacional Anarquista de Amsterdam tem início, reunindo delegados de 14 países por oito dias.
1909
13 de Outubro – O educador anarquista Francisco Ferrer é fuzilado na Espanha.
1910
4 de Fevereiro – Depois de 32 anos na prisão, nas condições mais degradantes, pela tentativa de assassinato do rei Umberto I da Itália, Giovanni Passannante enlouquecido morre em um hospício criminal.
22 de Junho – Manuel Possa (aos 18 anos) atenta contra a vida do governador Antonio Maura em Barcelona quando este se dirigia para um final de semana em Majorca. O governador é ferido na perna, mas sobrevive. Possa acaba preso.
19 de Outubro – Luigi Lucheni, o assassino da Imperatriz da Áustria é encontrado morto em sua cela.
1911
5 de Setembro – os ilegalistas russos Alexander Grauberger, Yurian Kirienko, Stefan Sedoresky e Pablo Pavlowsky assaltam uma casa de câmbio em Porto Alegre. Sendo perseguidos pela polícia e mortos um dia depois em um tiroteio nos pântanos do rio Gravataí.
21 de Dezembro – A Gangue Bonnot, grupo anarquista ilegalista, realiza seu primeiro assalto a banco na Société Générale Bank em Paris.
1912
12 de Novembro – Manuel Pardiñas assassina a tiros o Primeiro Ministro da Espanha José Canalejas em Madri.
1913
3 de Fevereiro – O julgamento dos membros sobreviventes do grupo francês ilegalista, a Gangue Bonnot tem início.
27 de Fevereiro – O Julgamento da Gangue Bonnot termina com três condenados a pena de morte.
18 de Março – o grego Alexandros Schinas (Αλέξανδρος Σχινάς) assassina o Rei Jorge I da Grécia na Tessalonica.
6 de Maio – depois de uma série de torturas Alexandros Schinas é lançado pela janela de uma delegacia na Tessalonica.
1914
14 de Dezembro – Antonio Ramón esfaqueia General Silva Renard o autor do Massacre dos trabalhadores na Escola de Santa María de Iquique em 1907.
1921
8 de Março – atentado mortal contra o presidente do conselho de Ministros espanhol Eduardo Dato é cometido pelosativistas anarquistas Pedro Mateu Cusidó, Luis Nicolau Fort e Ramón Casanellas Lluch.

Bibliografia

Walter Badier, “Emile Henry, de la Propagande par le Fait au terrorisme anarchiste”, Editions libertaires, 2007.
Emile Henry, Coup pour coup. Préface d’André Laude. Textes établis par Roger Langlais. Plasma, coll. “Table Rase”, 1977 (ISBN 2-901376-18-5).
André Salmon, La Terreur noire : chronique de l’action anarchiste, Jean-Jacques Pauvert, 1959.
Robert Maggiori, « Coup pour coup ? Une grande figure de l’anarchisme : Emile Henry », Libération, 7 mars 1977.
Daniel Guérin, Ni dieu ni maître. Anthologie de l’anarchisme, tome 2. Rééd. La Découverte & Syros, 1999. ISBN 2-7071-3035-4
Anarquismo – o inimigo do rei e do Estado ainda vive, por George Woodcock.
O terrorismo e a nova ordem mundial, por José William Vesentini.

Deixe uma resposta