Huey Newton – A história do verdadeiro Pantera Negra




Huey Percy Newton, nasceu em Oakland, Califórnia, em 1942. Desde muito novo observava a truculência da policia no tratamento com Afro-Americanos, durante a adolescência sofreu violência policial várias vezes. Ao completar a maioridade se aproximou das ideias de Malcolm X, e iniciou militância no movimento negro, onde conheceu e desenvolveu amizade com Bob Seale. Os amigos, munidos do mesmo sentimento de indignação frente ao racismo, formaram o famoso Partido dos Panteras Negras. A principio, a ideia de Huey e seale era conscientizar os negros americanos sobre seus direitos, Newton conhecia o código penal e a constituição americana como ninguém, munido de conhecimento legal, passou a organizar reuniões em diversos bairros e cidades da Califórnia, nesses encontros lecionou curso para Afro-americanos, que mais tarde contribuiria para a formação de patrulhas negras que vigiavam o trabalho policial evitando o abuso de autoridade e as práticas racistas tão comuns na época. Nomeado como Ministro da Defesa do Partido dos Panteras Negras, Huey fez uma revolução no sistema de autodefesa contra o racismo, iniciando um programa de conscientização e incentivo ao uso de armas pelos afro-americanos como direito à resistência. No inicio dos anos 70, parcela significativa da população negra americana se armou e enfrentou legalmente toda forma de abuso policial e institucional. A frente dos Panteras Negras Newton formou-se PHD em filosofia pela Universidade da Califórnia e foi o principal responsável pela implantação do primeiro curso de História Afro-americana em uma universidade Estadunidense. Outros feitos importantíssimos realizados pelo “Pantera Negra” foi a implantação de práticas de assistência social. O Partido dos Black Panthers passou, com a liderança de Huey, a distribuir café da manhã para crianças negras carentes, compras básicas como leite, ovos e frutas para famílias afro-americanas pobres que ocupavam os guetos de toda a Califórnia. Junto com Bob Seale e a cúpula do partido, Newton abriu escolas informais para alfabetização de crianças, adolescentes e adultos, em meio ao processo de ensino, os alunos também recebiam ensinamentos sobre a história africana e estética negra, fatores imprescindíveis para o reforço e formação do orgulho negro, que mais tarde desencadearia o movimento Black Power.
O jeito aguerrido e feroz com o qual Newton desafiava o sistema político americano trouxe muitas consequências, uma delas foi a inimizade mortal com o FBI. A instituição tentou de todas as formas acabar com o partido dos Panteras Negras e seus líderes(fatos comprovados por documentos oficiais), o próprio Huey foi indiciado pela justiça duas vezes. A primeira por um tiroteio com as forças policiais, onde um dos policiais foi morto e a segunda detenção por uma acusação de estupro, da qual foi inocentado pela própria vítima e pela inexistência de provas. Perseguido por duas décadas pela política e sistema policial americano, Newton precisou se exilar e fugir da Califórnia por várias vezes, mas sempre se manteve líder do Partido dos Panteras Negras e sua vida virou símbolo de luta e resistência negra contra o racismo institucional americano. Ao longo dos anos 80 e 90 foi lembrado em musicas por rappers famosos como, Tupac Shakur e Notorious BIG e entrou para a cultura pop norte-americana como figura emblemática da história do país.
Em 22 de agosto de 1989, Huey Newton foi assassinado a tiros em Oakland, Califórnia. As investigações, inconclusivas, apontavam como assassino um traficante de 25 anos, que, segundo investigações, não recebera o que devia de Newton. A versão policial, contestada pelo movimento negro e pela justiça americana, nunca chegou a ser concluída como verdadeira. O fato é que Newton foi morto, mas saiu da vida para entrar na história. Seus feitos são lembrados até hoje e o punho fechado levantado, símbolo dos direitos humanos que Huey ajudou a popularizar entre a população negra, ainda causa arrepio entre racistas de todo o mundo.

, , , , ,

Deixe uma resposta