China proíbe as religiões de terem lucro

Pequim – A Administração Estatal de Assuntos Religiosos, que regula todos os credos na China, ordenou a todas as autoridades locais do país que “proíbam decididamente” qualquer atividade religiosa da qual se obtenha lucro econômico.

Em uma circular também emitida por outras nove instituições ministeriais chinesas, a administração estatal condena “alguns governos, empresas e indivíduos por terem transformado a religião em um instrumento rentável”.

Em particular, o comunicado denuncia a construção de edifícios religiosos com fins unicamente econômicos, o uso de falsos monges e clérigos para colher doações e outras formas de enganar fiéis e turistas.

Essas práticas “perturbaram a ordem das atividades religiosas, danificando a imagem da comunidade religiosa, ferindo os sentimentos dos fiéis e violando os direitos dos visitantes”, assinala a circular, que pede “graves castigos” aos responsáveis por essas atividades.

A administração estatal não cita casos específicos, mas vem sendo muito criticado nos últimos anos o mosteiro de Shaolin, local de nascimento do budismo zen e do kung fu, que produz rentáveis espetáculos com seus monges dentro e fora do país, além de construir mosteiros em outras províncias como uma espécie de franquia.

Fonte: Exame

,

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *