As Mulheres na Revolução Civil Espanhola

As Mulheres na Revolução Civil Espanhola

As condições de vida das mulheres espanholas até 1936 eram opressivas e repressivas ao ex tremo; o trabalho era pesado, com longas jornadas e muito mal pagas. Quando se introduziam melhorias não eram, muitas das vezes, benéficas a elas. Quando, em 1931, a República estabeleceu jornada de oito horas de trabalho, significou, na prática, que os homens estavam liberados para se reunirem, “fofocar”, ao passo que as esposas deveriam retornar para casa às 17 horas, preparar a refeição e lavar as roupas das crianças, como disse um camponês com quem Arthur Koestler conversou na Prisão de Sevilha….

Colaboração especial: Alexandre Felix

Baixe o Livro Anarquista: As Mulheres na Revolução Civil Espanhola

, , , , , ,

Deixe uma resposta