A todos nós brasileiros. Nós falhamos!!!

” Falhamos.

Até aqui, falhamos como nação. Como brasileiros que somos. Falhamos como povo livre. Falhamos por que depois da luta que essa nação decidiu travar contra uma ditadura militar, depois de toda a luta contra a inflação, depois de um governo que nos confiscou as economias, depois de viver por tantos tempos de crise, nós cidadãos brasileiros, desistimos da democracia de fato.

Nós, depois de 27 anos da reconquista do direito de voto, ainda optamos por não nos interessar por ele. Optamos por saber tudo sobre a Carminha e a Nina, optamos por saber mais sobre a grande empresa que é a seleção brasileira de futebol, optamos por saber da vida pessoal de gente “confinada” em uma “pequena mansão”, e acima de tudo, optamos por ignorar o que de fato importa para nossas vidas. Optamos por desprezar a vida da sociedade.

Optamos pela ditadura da ignorância e do desconhecimento, onde o convite a um debate aberto sobre idéias e planejamentos dos que se apresentam para representar o povo, é considerado um crime. Optamos por considerar justo que nossos representantes nesse sistema político ultrapassado, burro e corrupto, sejam eleitos apenas por simpatia, ou por que seus rostos são confiáveis.

Optamos por tratar como conduta correta, que os nossos representantes sejam apoiados somente pelo argumento de: promessas de fazer promessas. Optamos pela mediocridade. Não dos que colocam os teus nomes à nossa disposição. Mas optamos pela nossa mediocridade.

Optamos por não saber debater. Optamos por não conseguir manter um debate aberto de idéias dentro de uma linha argumentos válidos. Sem falácias, apelos emocionais ou a divindades. Não sabemos organizar algumas poucas idéias e defender com argumentação de fatos, e estudos técnicos (humpf, estudos…) , os nossos pontos de vista. Optamos por achar que, quem tem um ponto de vista diferente do meu, é meu inimigo, e para ele estou guardando o meu soco de direita.

Optamos por tão pouco….

Optamos por nos esquivar quando somos pressionados a expor nossas idéias, em um local onde possamos ser publicamente contestados. Optamos por temer o debate. E o que é o debate? Sempre pensei em um debate como a troca de idéias. Nada além. Mas não sabemos fazê-lo.

Optamos por escolher nossos funcionários, que serão muito bem remunerados durante um contrato inicial de 4 anos, apenas pelos seus desejos e vontades. Optamos por ignorar a preparação destes. Preparação esta, que seria inicialmente conhecer as cidades, regiões ou classes que estes desejam representar.

“ Ei cidadãos, sei quantos vocês são. Sei onde estão. Sei como se organizam, e como poderiam se organizar. Sei o que esperam, sei o que precisam, e acho até que precisarão também disto. Acho que se fizermos assim, ou tentarmos fazer assim teremos êxito na nossa busca por melhora da sociedade onde estamos inseridos, por que teremos este resultado a oferecer. “. Eu gostaria demais, enquanto contratante, entrevistar um candidato à um emprego com essa postura.

Mas nós não optamos por posturas assim.

Eu cidadão brasileiro que sou, espero que nos próximos anos, eu tenha mais opções. Não de pessoas, não de partidos. Eu cidadão, patrão pagador que sou dos altos salários oferecidos aos meus funcionários, espero ter mais opções de idéias. Por que até aqui, o que me foi ofertado, está muito abaixo das minhas utópicas expectativas. “

Fonte: Anônima

, ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *