3ª Feira do Livro Anarquista promove atividades sobre sexismo e abolicionismo penal

A 58ª Feira do Livro de Porto Alegre já terminou, mas amantes de livros e cultura – em especial os que não sentem-se muito contemplados pelo evento na Praça da Alfândega – podem buscar produtos e atividades diferenciadas na terceira edição da Feira do Livro Anarquista de Porto Alegre. Nos dias 16, 17 e 18 de novembro, a Usina do Gasômetro abrigará coletivos anarquistas que trarão debates sobre sexismo, abolicionismo penal, luta antimanicomial e anticapitalismo, entre outros temas.

Livros e atividades trazem debates sobre anarcofeminismo, abolicionismo penal, poesia, anticapitalismo e luta manicomial
Livros e atividades trazem debates sobre anarcofeminismo, abolicionismo penal, poesia, anticapitalismo e luta manicomial

Após dois anos ocorrendo no Espaço Libertário Moinho Negro, a feira deste ano ganhará mais visibilidade ao ocupar a Galeria dos Arcos, o Pier e a Sala P.F. Gastal da Usina. “Consideramos que a feira é um momento de aumentar a visibilidade das ideias anarquistas e a atuação dos coletivos na cidade”, afirmou uma das organizadoras do evento, membro da Editora Deriva, que vende livros sobre a temática na feira. “O evento tem sido um espaço de aproximação para várias pessoas, elas chegam através da feira e permanecem com a gente”, contou.

A Feira é uma atuação conjunta da Editora Deriva, da Federação Anarquista Gaúcha, do Espaço Libertário Moinho Negro e da Ação Anti-Sexista, mas conta também com outros coletivos ou indivíduos que integram parte do evento. “Há alguns meses abrimos a convocatória para os coletivos proporem atividades, e assim montamos a programação”, explicou a organizadora, em entrevista ao Sul21. O evento acontece na mesma época da Feira do Livro de Porto Alegre não por acaso: “Queremos fazer uma contraposição à Feira, que é excessivamente comercial”, afirmou ela. “Não se dá a devida atenção ao conteúdo dos livros”.

A Feira é uma iniciativa dos coletivos Editora Deriva, Federação Anarquista Gaúcha, Espaço Libertário Moinho Negro e Ação Anti-Sexista | Foto: Divulgação

A temática das atividades e oficinas “expressam bastante a gama de interesses conectados ao anarquismo, que é bem amplo em suas preocupações”, considerou a integrante da Editora Deriva. As atividades incluem o lançamento do livro “Ética amatoria del deseo libertario y las afectaciones libres y alegres”, do grupo argentino Ludditas Sexxxuales, a oficina poética “Tudo já foi dito, é preciso sentir” e o bate-papo “Estratégias de mobilização AnarcaFeminista”, exclusivo para mulheres.

Frequentadores encontrarão livros sobre anarquismo e temáticas relacionadas, bem como fanzines e materiais produzidos pelos próprios coletivos organizadores.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *